TrekkerCultura

TrekkerCultura® -  Boletim Cultural - N. 17

Frota Estelar Brasil

Boletim publicado em outubro de 1998.


Tripulação da Enterprise no filme Jornada nas Estrelas II - A Ira de KhanNo filme Jornada nas Estrelas II - A Ira de Khan, Spock dá um livro de presente ao Capitão Kirk por ocasião de seu aniversário. Kirk lê as primeiras linhas do livro: It was the best of times, it was the worst of times (Foi o melhor dos tempos, foi o pior dos tempos). Então Kirk pergunta: "Isto é alguma mensagem, Spock?" A que Spock responde: "Não consciente. Exceto, é claro, feliz aniversário". Talvez Spock não tivesse mesmo consciência da mensagem contida na obra, mas Kirk, após a morte de Spock, percebe qual era a mensagem e diz isso citando as últimas frases do romance. Eu, pessoalmente, só entendi aquela passagem do filme depois que descobri e li o livro em questão:  Um Conto de Duas Cidades (A Tale of Two Cities), de Charles Dickens. E é disso que vai tratar este boletim: a relação entre o livro de Dickens e o filme Jornada nas Estrelas II.

Um Conto de Duas Cidades - Londres e Paris - se passa na época da Revolução Francesa, desde os anos que a antecedem até a fase em que a Revolução perde o rumo e entra no período do Terror. O autor inicia o livro descrevendo o ambiente e a atmosfera daqueles tempos conturbados, que iriam transformar toda a História Ocidental:

It was the best of times, it was the worst of times, it was the age of wisdom, it was the age of foolishness, it was the epoch of belief, it was the epoch of incredulity, it was the season of Light, it was the season of Darkness, it was the spring of hope, it was the winter of despair, we had everything before us, we had nothing before us, we were all going direct to Heaven, we were all going direct the other way.

Foi o melhor dos tempos, foi o pior dos tempos, foi a idade da sabedoria, foi a idade da tolice, foi a época de acreditar, foi a época da incredulidade, foi a época da Luz, foi a época da Escuridão, foi a primavera da esperança, foi o inverno do desespero, tínhamos tudo diante de nós, não tínhamos nada diante de nós, estávamos todos indo direto para o Paraíso, estávamos indo direto na direção oposta.

Dickens descreve o período em que a história se passa com termos exatamente opostos. E opostos também são os dois personagens masculinos principais, Charles Darnay e Sydney Carton, apesar de fisicamente muito parecidos. Carton, inglês, é um advogado dissoluto, solitário, que não tem rumo certo na vida e bebia demais - é um talento desperdiçado;  Darnay, francês, é ético, correto, um verdadeiro nobre. Ambos,  porém, têm algo em comum: amam a mesma mulher, a bela Lucie Manette, filha de um médico, Dr. Alexandre Manette.

Lucie escolhe se casar com Darnay, que, mais tarde, será injustamente preso e condenado à guilhotina. Sydney, que se tornara amigo do casal, decide armar um plano para morrer no lugar de Darnay (sem o conhecimento deste). Assim como Spock, Carton deu  própria vida em nome de algo maior. Ambos acharam que "as necessidades de muitos se sobrepõem às necessidades de poucos -- ou de um". Ambos acharam que sua morte daria sentido a toda sua vida.

Tanto o livro quanto o filme tratam da amizade sincera entre dois homens. Palavras de Spock a Kirk, pouco antes de morrer: "Sempre fui e sempre serei seu amigo". Kirk captou a mensagem de Spock ao lhe dar Um Conto de Duas Cidades em seu aniversário. Olhando para o recém-criado planeta Gênesis, Kirk citou a frase final do livro,  a frase que Sydney Carton pensou segundos antes de morrer na guilhotina:

It is a far, far better thing that I do, than I have ever done; it is a far, far better rest that I go to than I have ever known.

Esta é, com certeza, a melhor coisa que eu faço, que eu já fiz; este será, com certeza, o melhor descanso que terei e que jamais tive.

A Dra. Marcus lhe pergunta se aquilo é um poema e Kirk diz: "Não, é algo que Spock queria dizer no meu aniversário". Qual era a mensagem, afinal? Que Spock sempre seria amigo de Kirk e morreria por ele e pela nave, se fosse preciso. 

Charles DickensO escritor Charles Dickens nasceu em 1812, na Inglaterra. Teve uma infância muito difícil, chegando a passar fome. Seu pai foi preso por causa de dívidas e Dickens escreve memórias desse período doloroso em David Copperfield (1850) e em outras obras. Ele escreveu a maior parte de suas obras, inclusive Um Conto de Duas Cidades (1859), em capítulos publicados nos jornais. O povo seguia avidamente suas histórias, da mesma forma que as pessoas seguem as novelas hoje em dia. Mas suas publicações tinham inegável qualidade literária, tanto que Dickens é considerado um dos maiores escritores ingleses. Outras obras famosas são As Aventuras do Sr. Pickwick (1837), Oliver Twist (1837), Grandes Esperanças (1861) e Conto de Natal (1843). Esta última obra foi adaptada para o palco e encenada por Patrick Stewart, o Cap. Picard, alguns anos atrás, alcançando enorme sucesso de crítica e público, rendendo vários prêmios ao ator. No momento, Stewart está trabalhando numa adaptação de Conto de Natal para a TV.

Bem, este foi o último Trekker Cultura sobre o filme A Ira de Khan. No próximo, vamos falar do Paraíso. Até lá. Vida Longa e Próspera!

 

 

Anterior | Próximo

Página Inicial  Lista de todos os boletins